É possível gerenciar projetos com o Trello?

21 de agosto de 2019

É possível gerenciar projetos com o Trello?

Autoria: Carlos MAGNO da Silva Xavier

Eu considero o Trello uma ferramenta de colaboração. Aliás essa é a palavra chave que faz com que eu goste de utilizá-lo: Colaboração. E uma melhor comunicação segue junto.

Inicialmente, é importante dizer que cerca de 90% dos projetos no mundo são de pequeno ou médio porte, e a maioria está usando o Excel da Microsoft e / ou aplicativos como Trello e Jira para apoio na gestão desses projetos, principalmente no desenvolvimento ágil de produtos e serviços. Veja meu texto A Gestão de Projetos no Desenvolvimento Ágil de Projetos e Serviços acerca deste tema.

Muita gente tem a percepção equivocada de que o trello é somente uma implementação de kanban. Eu comecei kanban há cerca de cinco anos para gerenciar tarefas de meus funcionários na Beware, primeiro no papel e depois com o trello. Só mais tarde eu comecei a usar o trello na gestão de pequenos projetos. O trello tem hoje cerca de 200 aplicações, chamadas power-ups ou adds-on, que fazem com que o ambiente não seja só um kanban. Dê uma olhada em https://trello.com/integrations .

Figura 1 – Visão de Kanban no Trello

Agregando alguns desses aplicativos, é possível, no trello: gerar o gráfico de gantt (cronograma de barras); fazer dependências entre os cartões; gerar o gráfico burn down; fazer avanço físico de atividades dentro dos cartões; gerenciar teste de software; fazer apontamento de horas; fazer chamadas em vídeo; ter integração com correio eletrônico, inclusive com o envio de e-mail automático; ter a visão de calendário; emitir relatórios, inclusive de métricas, podendo colocar a estimativa e comparar com o tempo gasto em cada cartão; ter integração com o mapeamento de histórias do usuário; além de poder fazer o armazenamento de arquivos do projeto.

Figura 2 – Status via contagem de cartões no Correlo + Trello

Ou seja, hoje o trello é um ambiente que faz muito mais coisas do que alguns softwares considerados como de gerenciamento de projetos. É claro, existem soluções mais completas e robustas, como o PPM da Microsoft, o Clarity, o Primavera e outras. Mas são muito caras para uso em projetos de pequeno porte.

Então, esta é a minha visão. A gente precisa ver o que o mercado está usando e hoje o trello é uma realidade e nós, profissionais de gestão de projetos, temos de entender como usá-lo também em projetos, conhecendo suas deficiências e virtudes. Também é possível usar na gestão de portfólio, na priorização e acompanhamento da execução dos projetos.

Sobre o autor:

Carlos Magno da Silva Xavier ( Doutor, PMP)

Carlos Magno Xavier

Carlos Magno Xavier

Diretor da Beware - magno@beware.com.br

Carlos Magno da Silva Xavier foi eleito, em 2010, uma das cinco personalidades brasileiras da década na área de gerenciamento de projetos. É Doutor pela Universidad Nacional de Rosário (Argentina) e Mestre pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). É Sócio-Diretor do Grupo Beware e sua experiência profissional, de mais de vinte e cinco anos, inclui a consultoria na sistematização do gerenciamento de processos, projetos, programas e portfólio em várias Organizações (TIM, Eletronuclear, BR Distribuidora, Eletropaulo, Marinha do Brasil, Iguatemi, Emgepron, SESC-Rio, Petrobras e outras). É autor/coautor de dezoito (18) livros, dentre eles “Metodologia de Gerenciamento de Projetos – Methodware” – eleito em 2010 o melhor livro brasileiro da década na área de gerenciamento de projetos. É certificado “Project Management Professional” (PMP) pelo Project Management Institute (PMI) e professor de MBAs da Fundação Getúlio Vargas, Fundação Dom Cabral e UFRJ.