REVISTA GIP4 SETEMBRO_2015

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE PROCESSOS, PROJETOS, PROGRAMAS E

PORTFÓLIO – REVISTA GIP4 - SETEMBRO / 2015

 

1: Como lidar com o excesso de informações no Gerenciamento de Projetos

 

image001

image002Somos bombardeados a cada minuto por centenas de informações, oriundas de várias formas de comunicação: voz, música, livros, Internet, e-mail, WhatsApp, Facebook etc. Isso faz com que tenhamos dificuldades para filtrar o que realmente é importante e, em alguns casos, com que tomemos decisões equivocadas no gerenciamento de projetos, baseadas em dados imprecisos.
A pesquisa PMSURVEY.ORG, realizada anualmente no Brasil, aponta que o problema mais comum em projetos está relacionado à comunicação. Podemos concluir, então, que temos muita quantidade e pouca qualidade nessa comunicação.

A nossa memória é falível.

No livro “A Mente Organizada”, o neurocientista americano Daniel J. Levitin afirma que “a nossa memória é falível, mas não tanto por causa de limitações de armazenamento, e sim pelas limitações de recuperação”. Além disso, o que ele considera pior, é que não apenas temos lembranças confusas, e sim de nem sequer sabermos que elas estão erradas. Insistimos que certas imprecisões são de fato verdadeiras.

Sobrecarga de decisões leva à improdutividade

Também os neurocientistas descobriram que a falta de produtividade e de motivação pode ser resultado da sobrecarga de decisões.
Clique para ler o artigo completo de Carlos Magno da Silva Xavier

 

2: Diagnóstico de Maturidade em Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio

 

image003A situação em que a empresa se encontra, em relação à utilização das práticas de gerenciamento de projetos, programas e portfólio, indica a sua maturidade. As organizações com maturidade têm alcançado mais sucesso, segundo o PMI´s Pulse of the Profession 2015, o que está representado na figura ao lado.

image004

 

image005Existem diversos modelos de avaliação dessa maturidade. Os mais usados no Brasil, segundo a pesquisa PMSURVEY.ORG, são: OPM3™ e Darci Prado. Além desses dois modelos, a Beware também faz diagnósticos com base na norma NBR ABNT ISO 21.600 (Orientações acerca do Gerenciamento de Projetos) e com base em um modelo próprio, desenvolvido pelo professor Carlos Magno Xavier. Ao final do diagnóstico de maturidade, pode ser gerado ou não um plano de melhoria.

 

Leia o artigo completo de Carlos Magno da Silva Xavier

 

3: A Governança torna a Gestão de Projetos mais eficiente e eficaz na Construção Civil

image006

 

image007As falhas na gestão de projetos são as principais causas de prejuízos nas construtoras. Passamos recentemente por um boom imobiliário que serviu como exemplo da capacidade técnica da engenharia brasileira, mas que ressaltou a nossa deficiência na gestão de projetos. Os atrasos e estouros de orçamentos, divulgados na mídia, mostraram a falta de previsibilidade desses projetos. Pesquisa realizada em 2014 no Brasil, disponível em PMSURVEY.ORG, mostrou que 57% dos projetos sempre ou na maior parte do tempo não alcançam os resultados esperados de custo, tempo e satisfação do cliente.

 

Temos vagões de metrô que perdem a garantia porque chegam muito antes dos trilhos e estações ficarem prontas; viadutos que levam o nada ao lugar nenhum; barcas que são compradas para cais que não permitem o embarque lateral e que não conseguem atracar no estaleiro da empresa responsável; e assim por diante.

A verdade é que planejamos pouco. De acordo com o Núcleo de Infraestrutura e Logística da Fundação Dom Cabral, a elaboração de projetos, a montagem de cronogramas e as projeções de custos consomem cerca de 40% do tempo previsto para uma obra no Japão. Na Alemanha, 50%. Para comparar, no Brasil, só 20% é despendido com as etapas iniciais.

Diante desse cenário, muitas empresas vêm concluindo que é melhor construir menos e gerenciar melhor as obras para se alcançar um retorno mais alto dos investimentos. Foi o caso, por exemplo, da PDG, a maior construtora do país em 2011, que verificou que suas obras custaram R$ 1,4 bilhões a mais do que o previsto, conforme divulgado na Revista Exame de maio de 2014, exemplifica o profissional. Uma das consequências positivas é que tem crescido a procura por cursos e consultorias voltados para a construção civil.


 

Para ler o artigo completo de Carlos Magno da Silva Xavier, acesse https://www.linkedin.com/pulse/governan%C3%A7a-torna-gest%C3%A3o-de-projetos-mais-eficiente-e-da-silva-xavier?trk=mp-author-card

 

4: Se prepare para um mercado mais competitivo

image008

Gerencie com sucesso seus projetos, programas e portfólio, se preparando para um mercado mais competitivo!

image009A Beware é especialista em consultoria e treinamento em gerenciamento de projetos, programas e portfólio, sendo reconhecida pelo Project Management Institute (PMI) como Registered Education Provider (REP). Nossos professores já ministraram cursos para mais de 12.000 alunos.

Conheça os nossos cursos, turmas abertas, para outubro e novembro de 2015, clicando no nome para acessar os detalhes. Temos descontos especiais para algumas Organizações conveniadas.

CURSOS LOCAL DATA
Curso de Controle de Projetos com a Curva S – Valor Agregado, Prazo Agregado e Duração Agregada (16 horas) Rio de Janeiro 24 e 31 de Outubro
Curso de MS-Project (16 horas) Rio de Janeiro 7 e 21 de Novembro
Curso de Gerenciamento de Riscos, utilizando Simulação de Monte Carlo - 15ª turma (16 horas) Curitiba 09 e 10 de Novembro
Curso de Gerenciamento de Projetos na Construção Civil (20 horas) Rio de Janeiro 13,14 e 15 de Novembro
Curso de Como Fazer um Plano do Projeto Simples e Efetivo (8 horas) Rio de Janeiro 14 de Novembro
Curso de Gerenciamento de Riscos, utilizando Simulação de Monte Carlo – RJ (16 horas) Rio de Janeiro 14 e 15 de Novembro

Para maiores informações ou para solicitar uma proposta para uma turma In Company,
faça contato com

relacionamento@beware.com.br ou pelo telefone (21) 3603.0202.

Mensagem