LIDERANÇA

Liderança-ServidoraA liderança é um dos temas mais discutidos, não somente no cenário corporativo, mas também no espaço acadêmico. É particularmente instigante, uma vez que não há um roteiro fechado que possa ser seguido e que garanta a boa atuação de um líder. É indispensável que a liderança seja desejada e desenvolvida por quem a queira exercer, e reconhecida e legitimada pelos seguidores do líder, ou seja, seus liderados.

Todos desejam ser líder? Todos podem ser líder? Drucker defende que as competências de liderança podem e devem ser aprendidas. Significa dizer que com maior ou menor facilidade, qualquer pessoa  é capaz de se lançar nessa empreitada, perseguindo o seu autodesenvolvimento, de modo a se tornar alguém carismático e entusiasta, para criar e manter visões e propósitos desafiadores, e gerar seguidores comprometidos, que podem ir desde pequenos grupos até multidões ou gerações. Um bom líder coaduna capacidades interpessoais e capacidades técnicas, que possam colocá-lo em uma posição de gestor-líder.

No mundo moderno, que gira apressadamente e confrontando uma enorme gama de diversidades e adversidades, o líder é uma pessoa atenta às movimentações do mercado, às necessidades dos seus clientes – internos e externos e, principalmente, às expectativas dos seus liderados, pois são eles que, se colocados em primeiro lugar, estarão empenhados em colocar os demais atores sociais também em primeiro lugar.

A atuação do líder é, sem dúvida, muito facilitada, na medida em que faz bom uso da comunicação, para gerar motivação na sua equipe, articular-se com todos os seus públicos de relacionamento e levar a efeito a missão da empresa ou da unidade de negócios que representa. Voltando à dinâmica do mundo moderno, vale enfatizar que a aprendizagem de novas habilidades e comportamentos, e a transferência desse conhecimento, pelo líder, passa a ser uma aventura que nunca termina.